Consumo Sustentável

O consumo sustentável nada mais é do que o consumo consciente. Um conjunto de práticas relacionadas desde a aquisição de produtos e serviços com objetivo de diminuir ou até mesmo eliminar os impactos negativos ao meio ambiente até o seu descarte após se tornar inservível sempre consciente  de preservar os recursos naturais, mantendo o equilíbrio ecológico onde vivemos. Estas práticas estão relacionadas à eliminação do desperdício, diminuição da poluição e incentivo à reciclagem .

O conceito de consumo sustentável passou a ser divulgado a partir do termo “desenvolvimento sustentável”, divulgado com a Agenda 21, documento que foi produzido em 1992 durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento – ECO 92,  no Rio de Janeiro. A Agenda 21 mostra a relevância em se atentar para o consumo como causador de diferentes impactos ambientais e sociais e relata quais as principais ações que devem ser tomadas pelos governos para aliar a necessidade de crescimento dos países com a manutenção do equilíbrio do meio ambiente. O consumo sustentável passa a ser um conjunto de práticas relacionadas à aquisição de produtos e serviços com objetivo de diminuir ou até mesmo eliminar os impactos negativos ao meio ambiente no sentido de preservar os recursos naturais, mantendo o equilíbrio ecológico em nosso planeta. Estas práticas estão relacionadas a eliminação do desperdício, diminuição da poluição e incentivo à reciclagem ao fim do seu ciclo de vida. Significa comprar aquilo que é realmente necessário, estendendo a vida útil dos produtos tanto quanto possível. Escolher com consciência o que compramos pensando nas consequências, passou a significar uma maneira sustentável de vida que leva a uma mudança de comportamento.  Adotar esse novo paradigma de comportamento passou a ser um desafio e uma tarefa de todos os atores da sociedade, governo,  empresas e cidadãos.

Sabemos que as mudanças de comportamento  sofrem resistências e levam  tempo para que as pessoas as adotem.  Daí a necessidade do envolvimento de todos, principalmente do governo criando os mecanismos para que sejam acelerados esses processos,  já que eles também visam a justiça social com a inclusão dos mais necessitados, pois a degradação ambiental atinge-os mais diretamente.

O aumento desenfreado do consumo com a obsolescência programada, as práticas de desperdício inconsciente e compras desnecessárias passam a ser fatores de crítica. Assim se estabelece os princípios  para que se fortaleça a ideia de sustentabilidade em novos hábitos de consumo, adotando por outro lado as práticas do consumo sustentável que estão presentes em nosso dia a dia.  No mundo moderno o consumo sustentável  já começa a fazer parte da consciência coletiva da população com fortes ações na prática dos 4 R (Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar), primeiro repensar nossos modos de consumo, em seguida reduzir  para depois reutilizar e finalmente reciclar.

 REPENSAR  é tomar uma nova atitude com relação ao nosso consumo. Não significa deixar de consumir, mas ser mais seletivos e conscientes na decisão de comprar somente o necessário e optar sempre por produtos de empresas comprometidas com a questão ambiental e que se comprometem com a reciclagem no ciclo final de seus produtos.

 REDUZIR o consumo, significa procurar sempre os produtos mais duráveis, comprar apenas o necessário para evitar o desperdício, reduzir os supérfluos. Significa também consertar ou reformar  para aumentar a vida útil dos produtos ao invés de trocar por outro mais novo.

REUTILIZAR um produto significa usar de novo, dar novo uso diferente do original, é deixar de jogar no lixo podendo utilizá-lo de outra forma.

RECICLAR é criar um novo ciclo de vida através da transformação em materiais novos para serem utilizados na criação de um novo produto.

Na gestão pública essa mudança de comportamento em busca do consumo sustentável  nas contratações de produtos e serviços passou também a ser foco de atenção e de cobranças, fornecendo os instrumentos legais para que a médio prazo sejam implementadas e, através de treinamento e educação, sejam disseminadas em nosso dia a dia  em todos os níveis da administração. Aos poucos se retirou o gesso  e as amarras com ações propositivas e legais rumo à sustentabilidade e agora se mostra irreversível no caminho do consumo consciente propiciando as condições para o abandono de práticas de consumo exageradas e de desperdício do dinheiro público. Ao final, com tudo isso poderemos ter mais recursos para as áreas mais carentes beneficiando a sociedade como um todo.

                                                       OUTUBRO – MÊS DO CONSUMO SUSTENTÁVEL

Facebook Comments