Compras sustentáveis a um passo do padrão ISO

Está em vias de ser publicada a Norma ISO 20400 para compras sustentáveis. Para atender a necessidade das organizações em trazer responsabilidade social na cadeia de abastecimento, a ISO iniciou em 2013, o processo de estudo para a criação de uma norma internacional para a compra sustentável 

Sob a secretaria do Brasil (ABNT) e França (AFNOR), foi lançado o trabalho do comitê denominado projeto ISO PC 277. Cerca de 28 países estão  envolvidos no processo de desenvolvimento do documento, enquanto outros 13 são observadores. Desde então o comitê já se reuniu em três ocasiões estando atualmente na terceira fase onde  deverá sair um documento para discussão neste ano de 2015. O objetivo é ter essa norma estabelecida no próximo ano.

Esta nova norma abordará as partes interessadas que estão envolvidas ou afetadas pelo processo de compra de uma organização e inclui em grande parte o alinhamento da norma ISO 26000, sobre a responsabilidade social,  já sendo usado por organizações em todo mundo preocupadas na promoção da integração social e responsabilidade na sua cadeia de valor.  O objetivo essencial  da futura norma 20400 é orientar as organizações públicas e privadas em suas atividades de aquisição e promover as boas práticas de compra, independentemente do seu tamanho ou atividade.

O que é compra sustentável?

Um processo pelo qual as organizações atendem suas necessidades adquirindo  bens, obras e serviços públicos, de uma forma que alcance o melhor custo-benefício em termos de geração de benefícios não só para a organização, mas também para a sociedade e a economia, minimizando os danos ao meio ambiente.

Por que um padrão ISO?

A futura Norma ISO 20400 trará muito mais valor para a aquisição e a comunidade de compras, ajudando a disseminar as práticas de Responsabilidade Sócio Empresarial (RSE) contidos na  Norma ISO 26000/2010,  com  Orientação sobre responsabilidade social em  toda a cadeia de abastecimento.

 Como a Norma ISO ajudará?

 A futura Norma ISO 20400  irá padronizar as diretrizes e princípios para todos os interessados ​​que trabalham com processos de compras internas e externas – incluindo empreiteiros, fornecedores, compradores e autoridades locais – como parte de um esforço para demonstrar boas práticas de compras sustentáveis.

 Quem será beneficiado com a Norma?

 Todas as organizações, independente do seu tamanho e setor, serão beneficiadas pela integração dos princípios e questões de responsabilidade social dentro do processo de compra. Em poucas palavras, ela irá:

  • Aumentar o valor dessas práticas essenciais de gestão 
  • Ajudar a diferenciar entre os programas que são verdadeiros esforços para combater a degradação ambiental, proteger direitos humanos ou eliminar problemas de corrupção na cadeia de abastecimento daqueles programas que são meras vitrines e  promovem uma percepção enganosa de suas políticas e práticas de gestão
  • Encorajar outras organizações para lançar programas similares  beneficiando-se  de imediato com a experiência dos pioneiros e especialistas no assunto

Informa  a  organização ISO, sediada em Zurique, Suíça, que ainda há problemas a vencer.

Esclarece que de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA  (EPA), o número de normas para produtos verdes tem crescido nos últimos anos devido ao aumento da demanda do mercado por produtos ambientalmente corretos.  Junto com este mercado em constante mudança, no entanto, veio a crescente preocupação com “greenwashing” e incerteza sobre quais as alegações ambientais relacionadas aos padrões e rótulos podem ser confiáveis.

Mas como pode uma empresa ter a certeza que ele está usando uma referência credível? 

Existe algum padrão que todas as empresas podem usar? 

Daí a importância de termos uma norma internacional que traga confiança na gestão dos processos de compras.

fonte: http://www.iso.org/iso/home/news_index/news_archive/news.htm?refid=Ref1873

Facebook Comments