COP 18 – Em Doha conferência sobre mudanças climáticas

  • doha-logo1

DOHA – Catar : 26 de novembro até 7 de dezembro 2012.

A partir desta segunda-feira, 26, representantes de 190 países se reunirão em Doha, no Catar, para a 18ª Conferência das Partes da Convenção de Mudanças Climáticas. Organizada pela ONU, a COP-18 vai até o dia 7 de dezembro, debatendo assuntos como a redução da emissão de gases poluentes. A principal discussão deve girar em torno da extensão do Protocolo de Kyoto, prestes a expirar, a fim de que o segundo período de vigência comece ainda em 2013.

O que deve ser decidido é a duração do novo período do acordo. Enquanto alguns países defendem que ele dure até 2017, outros querem que ele vigore até 2020. Na Pré-COP18, realizada em Seul, na Coréia do Sul, Brasil, África do Sul, Índia e China, no grupo chamado de Basic, indicaram que a COP-18 é fundamental para os avanços da elaboração da segunda etapa do Protocolo de Kyoto. O grupo defende que, depois de 2020, uma nova medida internacional de adaptação às mudanças climáticas seja instituída.

Na última Convenção do Clima, realizada na África do Sul, em 2011, ficou decidido que o Protocolo de Kyoto seria estendido, no mínimo, até 2017. Mas três países signatários, Rússia, Japão e Canadá, não assinaram a renovação. Outra decisão da COP-17, que vai refletir no debate da conferência desse ano, é a respeito do Pacto Climático Global. O pacto prevê metas obrigatórias de redução de emissões para todos os países, incluindo Estados Unidos e China. A ideia é que o pacto seja definido até 2015 e entre em vigor em 2020.

Além do pacto e do Protocolo de Kyoto, a COP-18 deve tratar ainda de outros assuntos, de menor expressão, como o Fundo Verde Climático, Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD, na sigla em inglês), o Comitê de Adaptação e o Mecanismo de Tecnologia.

Catar
Sede do evento, o Catar, com apenas 1,6 milhão de habitantes, é o país com maior emissão de gás carbônico per capita do planeta. Anualmente, emite 53,5 toneladas de CO2 por pessoa. A fim de tentar frear as emissões, estão programadas manifestações religiosas em todo o país. Os imanes, principais líderes religiosos do Islã, pregarão em mais de 150 mesquitas, utilizando mais de 1.500 versos do Alcorão que falam sobre o meio ambiente. Eles esperam alertar os seguidores do Islã sobre as mudanças climáticas e a responsabilidade deles em relação ao planeta.

As mesquitas até definiram um calendário para as ações que serão tomadas. Em 27 de novembro, a preservação dos recursos naturais e a redução do consumo de energia serão o tópico dos sermões. No dia 30, as mudanças climáticas serão o assunto religioso. Já em 4 de dezembro, grupos especiais se reunião para difundir ainda mais a mensagem.

O início do debate
A Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC, na sigla em inglês) foi criada em 1992, quando o Rio de Janeiro sediou a Conferência sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, conhecida também como Rio92 ou ECO92. A primeira Conferência das Partes (COP-1) ocorreu em 1995, em Berlim, na Alemanha. Desde então, o encontro vem sendo realizado anualmente.

Dois anos após a COP-1, em 1997, foi adotado o Protocolo de Kyoto, que estabeleceu metas para a redução das emissões de gases-estufa. O protocolo entrou em vigor em 2005 e vence em 31 de dezembro deste ano. Por esse motivo, a extensão do protocolo é o principal tema da COP-18.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/

Facebook Comments

  • Date:nov 2012